Aprender a dizer não. Dar passos a um ritmo que seja o nosso. Reconhecer que qualquer realidade pode assumir mais do que uma tonalidade, dependendo de quem a vive e sente. Respeitar essa diferença. E respeitar, acima de tudo, que essa diferença é razão suficiente para se querer e sentir algo diferente do outro. Aprender a dizer não, mesmo quando o mundo inteiro nos força a um sim — quando é a resposta mais difícil. Aprender a dizer não ao outro, mas também a nós mesmos — porque, por vezes, também é preciso.

About the Author: Laura Azevedo

Leave A Comment