Houve alturas, na minha vida, em que senti ser colocada em situações mais difíceis do que acreditava merecer. Difíceis, duras, inesperadas e intensas. De desamparo e dor. Situações onde me senti sozinha — nos sentimentos e nos momentos — e onde dependi apenas de mim para erguer a cabeça e seguir em frente. Situações pelas quais todos nós, em algum momento da nossa vida, passamos. Porque todos nós temos a nossa história.

Com esses momentos aprendi duas coisas muito importantes. Que tenho mais força e resiliência do que, por vezes, julgo ter. E que a melhor forma de ultrapassar o que de pior me acontece (e impedir que, a longo prazo, me transforme numa pessoa amarga e sem fé nas pessoas e na vida) é fazendo um esforço para retirar algo de positivo mesmo dos momentos mais difíceis e duros. Esse algo pode ser uma pessoa que surge na minha vida, uma paixão inesperada que descubro, um hábito novo que enriquece o meu dia a dia ou uma rotina diferente que aprendo a apreciar.

Sei que nem sempre é fácil encontrar o bom no meio do mau. Mais difícil ainda: encontrar o bom no meio do muito, muito mau. E também sei que há perdas na nossa vida que nunca mais se substituem. Mas ele (o bom) está lá — apesar e depois de tudo. Basta olhar com atenção.

About the Author: Laura Azevedo

Leave A Comment