«Aconteça o que acontecer, e independentemente daquilo em que a vida nos tentar transformar, os sonhos nunca podem morrer. Temos de viver a nossa vida com eles no coração: grandes, cheios de vontade, cheios de expectativa, cheios de certezas. E, mesmo quando a vida nos abrir o coração ao meio e nele escarafunchar com dedos longos, que parecem agulhas, temos de resistir. Aí, na verdade, Miguel, é mesmo quando temos de lutar mais. Com unhas e dentes e seguindo o nosso instinto. Aí é quando temos de fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para nos termos — a nós próprios — de volta e para não permitirmos que a vida nos leve, outra vez, de nós.»

// Do meu livro Apeteces-me //

About the Author: Laura Azevedo

Leave A Comment