Pessoas bonitas não se trazem a si próprias sempre com um sorriso no rosto, mesmo quando o mundo se abate sobre elas. Pessoas bonitas não dizem sempre a palavra certa. Pessoas bonitas também não são aquelas que estão sempre bonitas por fora — no jeito da camisa, na leveza do cabelo, no cheiro da pele, no sorriso leve. Até porque o sempre, aqui ou em qualquer outra frase, é demasiado finito.

Pessoas bonitas são aquelas que se trazem a si próprias exatamente como são: imperfeitas. Para se darem inteiras. Genuínas. Para se darem à vida, e aos outros, de peito aberto, com leveza e sabedoria.

About the Author: Laura Azevedo

Leave A Comment